Como o sono afeta a saúde do coração?

Imagem de homem com insônia representando a importância do sono para a saúde do coração – Mais Pfizer

Como o sono afeta a saúde do coração?

As consequências de noites mal dormidas vão além do cansaço e irritação no dia seguinte. Com o tempo, dormir pouco ou dormir mal causa vários danos à saúde, incluindo maior risco de doenças cardiovasculares. Isso significa que, assim como a alimentação saudável e a prática de atividade física, o sono de qualidade também é importante para proteger a saúde do coração. Entenda a relação.

Por que dormir pouco prejudica a saúde do coração?

Não está totalmente claro por que a falta de sono é prejudicial ao coração. O que se sabe é que pessoas que dormem pouco tem maior probabilidade de ter certas condições de saúde que aumentam o risco de doenças cardiovasculares. Essas condições incluem:

Pressão alta - enquanto você dorme, sua pressão arterial diminui. Ter problemas de sono faz com que a pressão permaneça mais alta por mais tempo.

Diabetes tipo 2 - a privação de sono pode prejudicar o metabolismo da glicose (açúcar no sangue), aumentando o risco de diabetes.

Obesidade - dormir menos do que o necessário também está associado ao ganho de peso. Uma das razões é que isso pode afetar uma região do cérebro que controla a fome, levando a pessoa a comer mais e de forma menos saudável. Além disso, a fadiga decorrente da falta de sono pode diminuir a disposição para fazer exercícios.

Quais distúrbios do sono podem prejudicar a saúde do coração?

Distúrbios do sono são problemas que afetam a capacidade de dormir bem. Alguns deles podem aumentar o risco de pressão alta e doenças cardiovasculares. São eles:

  • Apneia do sono - distúrbio que faz com que a pessoa pare de respirar por alguns segundos várias vezes enquanto dorme. Os sintomas incluem ronco alto e sensação de cansaço durante o dia.
  • Insônia - é a dificuldade para pegar no sono ou permanecer dormindo, ou ambos. Possui uma variedade de causas.

Existem opções de tratamento para distúrbios do sono. Se você não está dormindo bem, não use medicamentos por conta própria para tentar resolver. Converse com seu médico para identificar a causa e receber o tratamento adequado para o seu caso.

Também é importante seguir estratégias para ter uma boa noite de sono, como evitar atividades estimulantes à noite e ter um horário regular para dormir e acordar.

Dormir em excesso também pode ser ruim para a saúde do coração

O sono prolongado também está relacionado a maior risco de doenças cardíacas. Foi o que mostrou uma pesquisa publicada no jornal científico do Colégio Americano de Cardiologia, que analisou os hábitos de sono e os registros médicos de cerca de 461 mil pessoas de 40 a 69 anos que vivem no Reino Unido. Elas não tinham doenças cardíacas prévias. A análise revelou o seguinte:

  • Risco de ataque cardíaco com menos horas de sono - aqueles que dormiam menos de seis horas tinham 20% mais chances de ter um primeiro ataque cardíaco;
  • Risco de ataque cardíaco com mais horas de sono - aqueles que dormiam mais de nove horas tinham um risco 34% maior.

Além disso, os pesquisadores descobriram que dormir entre seis e nove horas reduz em 18% o risco de sofrer um ataque cardíaco nas pessoas que têm predisposição genética para doenças cardíacas.

Mas, afinal, qual é a quantidade ideal de sono?

A recomendação geral para adultos é de sete a oito horas por noite. Mas isso pode variar de pessoa para pessoa. Vale destacar que ter uma boa noite de sono beneficia não apenas a saúde do coração, mas também o sistema imunológico, a saúde mental, o metabolismo, a concentração e a qualidade de vida de forma geral.

Já conhece o Programa Mais Pfizer?

O Programa Mais Pfizer tem o objetivo de facilitar o acesso e incentivar que o paciente siga o tratamento que foi prescrito pelo médico. O Programa Mais Pfizer também oferece dicas e informações para uma vida mais saudável.

Saiba mais sobre o Programa Mais Pfizer.

Referências


PP-PFE-BRA-2485 - mar/2020

Mais Pfizer
11 março, 2020
Cadastre-se