Setembro Amarelo - 3 Alimentos que podem prejudicar o tratamento de depressão

Setembro Amarelo - 3 Alimentos que podem prejudicar o tratamento de depressão

A depressão é causada por uma combinação de vários fatores e, se você sofre com ela, precisa saber que seus hábitos diários influenciam diretamente na evolução dessa doença. Além do estresse e da falta de sono, alguns estudos já mostram que a sua alimentação também faz toda a diferença, deixando-o mais forte ou mais vulnerável.

 

Como acontece essa relação?

Os quadros de ansiedade e depressão são afetados por diversos fatores genéticos, hormonais, imunológicos, bioquímicos e neurodegenerativos. Esses fatores são influenciados pelos nutrientes dos alimentos que favorecem o desenvolvimento dessas duas condições.

Veja alguns alimentos que podem prejudicar o tratamento da depressão e que você pode evitar:

Alimentos ricos em gordura trans

O excesso de gorduras trans e saturadas em nosso organismo aumenta a produção de citocinas, moléculas pró-inflamatórias que podem desencadear o mau funcionamento dos neurônios. Elas interferem na transmissão nervosa e podem diminuir a produção de serotonina, neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar. Baixos níveis dessa substância estão comprovadamente relacionados com a depressão.

 

Alimentos industrializados

Um padrão alimentar baseado em alimentos processados dobra o risco de depressão na meia idade. A afirmação é de um estudo publicado no British Journal of Psychiatry desenvolvido por pesquisadores do Departamento de Epidemiologia e Saúde Pública da University College, em Londres, e do Instituto Nacional de Saúde e Pesquisa Médica de Montpellier, na França. O estudo avaliou 3.500 homens na faixa dos 55 anos e descobriu que quanto mais rica em alimentos industrializados era a dieta do indivíduo, maior era o risco de ele sofrer depressão.

 

Refrigerantes (normal ou diet)

Os refrigerantes são ricos em substâncias que podem interferir nas atividades do nosso organismo de forma negativa, favorecendo o aparecimento de várias doenças, inclusive a depressão. Uma pesquisa realizada pelo Instituto Nacional de Saúde da Carolina do Norte (EUA) verificou uma possível ligação entre o consumo de refrigerantes e um maior risco de depressão. Os autores analisaram os dados de 264 mil pessoas com mais de 50 anos de idade durante dez anos. A análise revelou que pessoas que bebiam mais de quatro latas ou copos de refrigerante diet por dia tinham um risco cerca de 30% maior de desenvolver depressão do que aqueles que não ingeriam esse tipo de bebida. Quem bebia refrigerante tradicional apresentou um risco 22% maior.

 

No geral, o motivo principal desses alimentos prejudicarem o tratamento de depressão é que eles intensificam o estado inflamatório do organismo. Se você está buscando uma dieta que possa contribuir para o seu tratamento, a grande dica é buscar uma alimentação o mais natural possível.

Referências:

Universidade Federal de Alfenas – “Alimentação, Depressão e Ansiedade: entenda a relação”. Disponível em: https://www.unifal-mg.edu.br/prace/sites/default/files/prace/E-BOOK-Alimentacao-Depressao-Ansiedade.pdf. Acesso em 30/07/2020.

Instituto de Psicologia e Controle do Estresse – “Má alimentação está ligada à depressão em mulheres”. Disponível em: http://www.estresse.com.br/publicacoes/ma-alimentacao-depressao/. Acesso em 30/07

PP-PCU-BRA_0077 – setembro/2020

4 setembro, 2020
Cadastre-se